• Rita Carvalho de Matos

Arrumar não é Organizar

Esta poderá bem ser uma questão que divide o mundo. Para os mais cépticos, recomendaria uma visita ao dicionário, mas decidi encurtar esse passo e colocar aqui o que podemos lá encontrar:


or·ga·ni·zar

. Dispor; pôr em ordem.

"organizar", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021,


ar·ru·mar

1. Pôr os objectos de modo que ocupem o menor espaço possível.

2. Pôr no lugar apropriado.

"arrumar", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021,


Pois é. Não aparecem como sinónimos e não utilizam a mesma

base de palavras. Ainda assim, parece ser difícil não os confundir. Antes de tentar ajudar a esclarecer as suas principais diferenças, quero-te dizer que uma pode viver sem a outra, mas que juntas são uma enorme e poderosa ferramenta para simplificar a tua vida.


Quando arrumamos, estamos preocupados com a estética, tentando encontrar um lugar onde fiquem bem e ocupem pouco espaço útil. Quem nunca fez uma arrumação de Domingo para que nessa semana a casa pareça mais bonita? E quem nunca fez várias arrumações de Domingo, porque tudo volta ao caos inicial ou até pior? Outra pergunta que ilustra bem a actividade de arrumação: vão receber uns amigos/familiares em casa. Provavelmente, mais stressante do que o acto de cozinhar, é mesmo a ideia de ter a casa arrumada para "não parecer que vivemos no meio do caos", certo?

Já quando organizamos, vamos procurar uma forma que funcione para que seja mais simples a rotina diária. E para saber o que precisamos de simplificar, precisamos de conhecer melhor quem somos, como queremos viver um dia de semana ideal, um dia de folga ideal e de que forma a nossa casa deve estar organizada para nos proporcionar esse conforto, essa rapidez, essa facilidade. Depois de escolhermos o que queremos guardar, iremos definir um local para cada coisa, para que seja sempre práctico e simples encontrá-lo quando for preciso.


Na realidade, podemos ser arrumados (ou seja, nunca ter nada espalhado pela casa ou pelo chão), sem sermos organizados (porque não temos claro onde está o que precisamos nem tão pouco se precisamos). Podemos também ser organizados (ter uma boa estrutura funcional montada para o que temos) e não ser arrumados (ter dificuldade em devolver cada coisa ao seu lugar, deixando a espalhada).



Com este pequeno texto, quero mostrar-te que a prioridade que poderás dar a cada uma destas distintas actividades, deverá sempre depender do teu objectivo final, que deverá ser definido depois de descobrires a tua intenção, o teu "para quê que é eu vou fazer isto?". Os especialistas dizem que precisamos de responder a 7 "para quê?" para chegar à verdadeira intenção por detrás duma determinada actividade.


Assim, ARRUMAR será a tua opção se procuras uma solução que coloque a beleza em primeiro lugar, não tenha que transmitir o teu gosto pessoal, mas que seja, sim, consensual, e que não precise de durar no tempo.

Se procuras uma solução que dê prioridade à lógica, à funcionalidade, que espelhe quem tu és, e que te permita manter durante muito tempo, ORGANIZAR deverá ser o teu foco.


A boa notícia é que, num caso ou noutro, podes pedir ajuda profissional. E se a tua opção for trazer ORDEM à tua casa, podes sempre explorar se algum dos serviços que ofereço te podem ajudar.








24 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo